Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saber mais.

Transforma o poker num jogo mental

Transforma o poker num jogo mental

Conheço muitos jogadores que pecam por transformar o poker num jogo mecânico e robótico: não caiam nessa!

por Academia   |   comentários 0

Hoje em dia, com a disseminação e facilidade de acesso a informações, em todos os âmbitos, a diferença técnica entre jogadores fracos e medianos diminuiu, e assim sucessivamente. Embora ainda existam muitos jogadores perdidos na mesa, e outros tantos a cometer erros grotescos, o nosso desporto tem vindo a tornar-se, ano a ano, mais duro e competitivo. Manter-se na linha de frente requer dedicação e estudo árduo.

Naturalmente, quanto mais duro se torna o jogo, mais se faz necessário volumar, para batermos field, variância e rake. Costumo dizer que o poker é sobre volume. Sentar na mesa e ficar horas e horas tomando as melhores decisões, e assim sucessivamente. Sempre fui um jogador adepto a sessões longas. Jogar entre 10-16 horas, durante muito tempo, era algo comum, algo como 70 horas era habitual. E com esse volume de jogo comecei a dar-me conta de que muitas jogadas estavam a tornar-se mecânicas, quase automáticas. É exatamente aqui que busco abrir os olhos dos leitores: não se tornem em robôs na mesa de poker.

O poker é um desporto mental e como tal deve ser tratado! Se os nossos adversários se sentam à mesa para jogar de forma automática, excelente, capitalizamos esse erro. Tomem o vosso tempo em cada decisão, pensem em possíveis ranges, gravem mentalmente sizes de valor e de bluff dos adversários, aqueles que foldam mais do que deveriam, os que dão calls exageradamente, os que não se preocupam em selecionar oponentes, que não querem saber da posição, dão calls sem levar em consideração odds, nunca foldam overpairs ou top pairs. Tirem todas as vantagem que puderem de jogadores que não pensam o jogo como deveriam.

Neste desporto, o cérebro é o nosso instrumento de trabalho, portanto, utilizem-no de forma correta. Sabemos, e isto não é segredo, que a imensa maioria do field pensa no jogo de forma arcaica. Não entende os conceitos e nem se preocupa em estudar. Na verdade, boa parte dos jogadores acha desnecessário estudar poker, bastando a experiência adquirida nas mesas. Sim, experiência é fundamental no processo de evolução enquanto jogador, mas nada bate o estudo árduo. Entender corretamente os conceitos, estudar diferentes linhas dentro de uma mesma mão, aplicar a parte matemática adequadamente, conversar com bons jogadores, enfim, tornar o poker um jogo mental. Isso é o que irá diferenciar bons jogadores de excelentes. 

Tentem entender a lógica e o raciocínio por trás de cada jogada dos vossos adversários. Por mais frágil que seja, qualquer jogada tem uma motivação. Façam notas mentais dos vossos opoentes, de acordo com o nível de cada um. Gravem na vossa mente as fraquezas, onde erram mais e os seus pontos fortes. Estejam sempre um passo à frente e com o nível de pensamento um degrau acima

Tenham em mente uma premissa básica do poker: jogadores maus fazem jogadas más, simplesmente porque não pensam o jogo como deveriam. Acreditem, a maioria nem se dá conta de que está jogando mal ou de que é perdedora.

Façam do poker um jogo mental, amassem a linha de raciocino robótica e previsível dos vossos adversários, pensem fora da caixa e aumentem a vossa winrate.
 
Daniel Dornelles

Partilhar "Transforma o poker num jogo mental" via: